Dimensões, Diretrizes e Ações.

ROBERTO SALLES (Candidato a Reitor)

1- Formação Acadêmica/Titulação

  • Professor Titular da UFF no Instituto Biomédico.
  • Doutor em Sanidade Animal (UFRRJ, 2001).
  • Mestre em Patologia / Anatomia Patológica (UFF, 1988).
  • Especialização em Patologia (UFF, 1985)
  • Graduação em Medicina (FM Souza Marques, 1990
  • Graduação em Medicina Veterinária (UFF, 1981)
  • Especialização em Gestão Universitária (OUI, Canadá, 2007)

 2- Experiência Administrativa na UFF

  • Reitor da UFF (Quadriênio 2006-2010)
  • Reitor da UFF (Quadriênio 2010-2014)
  • Membro Permanente do Conselho Universitário da UFF
  • Diretor do Centro de Ciências da Saúde/UFF (1994-1998)
  • Vice-Diretor do Centro de Ciências da Saúde/UFF (1990-1994)
  • Coordenador do Campus Avançado /PROEX-UFF (1990)

 WAINER DA SILVEIRA (Candidato a Vice-Reitor)

1- Formação Acadêmica/Titulação

  • Professor Titular da UFF na Escola de Engenharia.
  • Ph em Engenharia Elétrica (Vanderbilt University, USA, 2001)
  • Mestre em Ciências da Engenharia Elétrica (IME, 1978).
  • Especialização em Gerência Tecnológica (MIT, USA, 1983)
  • Especialização em Gerência de Projetos (NEC, Japão, 1975)
  • Graduação em Engenharia de telecomunicações (UFF, 1972)

 2- Experiência Administrativa na UFF

  • Pró-Reitor de Extensão da UFF (2012-2015).
  • Diretor do Polo Universitário de Volta Redonda (2009-2012)
  • Gestor da Construção do Campus do Aterrado e parte da Escola de Engenharia Industrial e Metalúrgica de Volta Redonda (2009-2012)
  • Diretor do Centro Tecnológico da UFF (1990-1994)
  • Presidente do Conselho do Centro Tecnológico (1990-1994)

 

APRESENTAÇÃO

Este programa de gestão para Reitor e Vice-Reitor não é somente uma carta de intenções, mas sim um documento cuja natureza explicita ideias e propostas coerentes e alcançáveis, que buscam a consolidação da UFF no próximo quadriênio 2018-2022.  Apesar desse caráter amplo e genérico, ainda assim, o Programa de Gestão da chapa integrada pelos professores Roberto Salles e Wainer da Silveira não se detém ao aspecto teórico ou generalista das propostas de continuísmo ou mudanças improváveis, fruto da imaginação ou inspiração de alguns. O conteúdo deste documento é mais avançado e mais eficiente, pois reafirma uma Universidade cuja missão é resgatar e amplificar seu caráter público: uma UFF de todos e para todos. Um compromisso de construção coletiva e permanente diálogo com todos os segmentos da comunidade acadêmica da UFF, além, de orientar esse compromisso na direção da permanente melhoria dos aspectos político-administrativos, pedagógicos, financeiros, sustentabilidade e inovação.

Nas páginas seguintes, será apresentado esse compromisso a partir de dimensões e diretrizes, cujas propostas de ação serão condensadas em um programa de gestão mais amplo, construído por muitas mãos e mentes. Esse amplo Programa de Gestão será formatado pela reunião das propostas elaboradas por técnicos administrativos, docentes e alunos da UFF.

Tudo pensado e feito para que a NOSSA UFF SEJA DE TODOS E PARA TODOS.

DIMENSÕES E DIRETRIZES

O Programa foi dividido em quatro tópicos sobre as  Dimensões e Diretrizes Universitárias, a saber:

  • Acadêmica & Pedagógica
  • Cultura & Convivência
  • Governança & Administração
  • Infraestrutura

DIMENSÃO ACADÊMICA & PEDAGÓGICA

Diretrizes Acadêmicas

  • Participar ativamente com a comunidade acadêmica e científica das iniciativas para que a educação e a atividade científica sejam assumidas como prioridades estratégicas pelo estado e a sociedade em geral e fazer com que os orçamentos e investimentos direcionados a essas áreas proporcionem de fato a sustentação indispensável para o desenvolvimento e a projeção global do Brasil.
  • Proporcionar aos alunos formação ampla e consistente que os habilite ao exercício pleno de sua profissão e que contribua para suas realizações como pessoas e cidadãos;
  • Fomentar na UFF um ambiente de curiosidade, questionamento, investigação, diálogo, cooperação e tolerância de pensamento, comportamento ético e identidades;
  • Estimular as atividades extraclasse de estudo autônomo e de acesso a meios complementares de informação, vivência, reflexão e orientação acadêmica e profissional;
  • Manter atualização constante com os avanços do conhecimento e dos recursos tecnológicos, socializar as formações e promover a informação e a discussão das questões humanas e ambientais contemporâneas;
  • Cultivar o intercâmbio com universidades, instituições de pesquisa, agências de fomento, governo e empresas para a promoção de atividades artísticas e culturais;
  • Estimular, acolher e apoiar as iniciativas e projetos de professores, alunos, funcionários e da comunidade que visem ao desenvolvimento científico e cultural e a promover a inclusão social e a solidariedade;
  • Incentivar, acompanhar, implementar e cobrar as ações necessárias para a crescente qualificação institucional da UFF, de seus cursos e de sua produção, bem como cuidar constantemente de seu prestígio no ambiente acadêmico e profissional, inclusive com a participação de ex-alunos;
  • Garantir aos alunos a sua permanência na UFF por meio de programas de assistência estudantil, suporte pedagógico de reforço, orientação acadêmica, profissional e vocacional;
  • Proporcionar aos professores as condições para a realização de seus projetos individuais e/ou coletivos de ensino, pesquisa e extensão, bem como aperfeiçoar os processos de avaliação e ascensão funcional visando sua agilidade e transparência;
  • Promover a oferta de disciplinas de extensão para a comunidade.
  • Oferecer aos funcionários técnico-administrativos e aos trabalhadores que atuam diretamente no ensino, pesquisa e extensão, reconhecimento, respeito, infraestrutura digna e meios de aperfeiçoamento profissional e qualificação;
  • Desenvolver ações sistemáticas e intensas em todos os campi para o desenvolvimento dos acervos e serviços das bibliotecas, além da instalação, atualização e ampliação do número de laboratórios de ensino e pesquisa e a disponibilidade de fontes e materiais que proporcionem e estimulem os alunos à busca autônoma de aprendizado em sua formação;
  • Persistir na busca de recursos de governos, agências, entidades nacionais e internacionais para financiar projetos, intercâmbios e melhores condições de trabalho na universidade;
  • Promover experiências inovadoras de ensino e estimular a criatividade e a superação da rotina no âmbito pedagógico, estimulando a incorporação crítica de métodos e técnicas que familiarizem os alunos com as tendências contemporâneas de suas áreas respectivas;
  • Fomentar as atividades de Extensão, estimulando o processo de socialização democrática do conhecimento e a participação das comunidades nos projetos;
  • Elaborar e implementar uma programação anual de Cursos de Extensão de conteúdo e formato variados, abrangendo desde a divulgação de conhecimentos, a formação profissional, o treinamento e o cultivo de habilidades até às potencialidades pessoais;
  • Proporcionar aos pesquisadores da UFF serviços gerenciais e infraestrutura que lhes garantam presteza na candidatura a editais, na prestação de contas e envio de relatórios e na liberação de carga horária para que eles se concentrem mais em sua atividade-fim;
  • Facilitar aos pesquisadores da UFF o intercâmbio com seus colegas de outras regiões e continentes, a internacionalização e divulgação de suas pesquisas e publicações, e a constituição de consórcios ágeis e desburocratizados para atender a aspectos ou demandas específicas e inadiáveis de investigação;
  • Fomentar a formação de recursos humanos especializados e habilitados para aperfeiçoar a dimensão gerencial e institucional das atividades de pesquisa, bem como pessoal de avançada formação técnica para atuação nos grupos de pesquisa e em seus laboratórios;
  • Incentivar e subsidiar o envolvimento de pesquisadores e alunos em investigações relacionadas com as pautas nacionais e internacionais de desenvolvimento sustentável, de promoção humana e políticas ambientais;
  • Intensificar a vinculação da UFF nas iniciativas de investigação, avaliação e implementação de processos tecnológicos avançados da chamada 4a Revolução Industrial;
  • Intensificar as atividades de divulgação científica para a sociedade como meio de contribuir para a elevação da cultura, de prestação de contas e sobretudo para fortalecer o apoio da sociedade às demandas das instituições universitárias e de pesquisa;
  • Intensificar as medidas de aperfeiçoamento dos processos seletivos e de concursos públicos de docentes e técnicos enfatizando sua universalidade, transparência e efetiva competitividade, visando incorporar à UFF os melhores quadros acadêmicos e profissionais;
  • Fomentar o cumprimento e a atualização dos Currículos e priorizar o atendimento às demandas de suas Coordenações e dos Departamentos a fim de atender às recomendações e exigências das Comissões Avaliadoras e do MEC ou para defender as orientações fundamentadas da área acadêmica respectiva;
  • Estimular e apoiar estudantes, professores e técnicos a participar de eventos de intercâmbio, competições intelectuais, esportivas e profissionais e promover as iniciativas de talento e criatividade;

 

 Diretrizes de Administração Escolar

  • Aprimorar a periodização curricular, inclusive definindo sua modalidade de turno para facilitar a movimentação dos alunos, especialmente dos que residem longe ou trabalham;
  • Facilitar o acesso dos alunos a disciplinas dos outros cursos correlatos a sua formação por meio da ampliação da oferta de disciplinas eletivas;
  • Simplificar os procedimentos acadêmicos administrativos, facilitando o acesso dos estudantes às instâncias administrativas pertinentes e aperfeiçoando os sistemas de acesso on-line, por meio da disponibilização de informações e de atos acadêmicos;
  • Fortalecer as Coordenações dos Cursos de Graduação e Pós-Graduação na definição das políticas respectivas na universidade e nas instâncias próprias do MEC e das agências de governo, bem como propiciar as condições adequadas de infraestrutura tecnológica, de pessoal e de ambiente para o exercício eficiente dessas funções tão relevantes;
  • Prestigiar e ampliar a produção e veiculação de programas de videoaulas para serem transmitidas na UNITEVE e no youtube, com o objetivo de dirimir dúvidas semanais dos estudantes, e com aulas expositivas relativas às disciplinas que mais reprovam;
  • Utilizar plataformas modernas para otimizar as aulas;
  • Incentivar e ampliar a produção e veiculação de programas de conteúdo digital (programas de computador) voltados para dúvidas dos estudantes;
  • Ampliar os programas de tutoria e monitoria através de diferentes atividades pedagógicas relativas às disciplinas que mais reprovam;
  • Ampliar a oferta de orientação regular extraclasse por professores e monitores e alunos mais avançados;
  • Criar em cada Unidade ou Campus de espaço para convivência virtual de alunos, professores e funcionários utilizando uma estrutura modificada do Conexão UFF, melhorando, assim, os estudos e promovendo discussões sobre unidades, cursos, departamentos e áreas de conhecimento e profissão.
  • Participação permanente dos representantes discentes na elaboração e gestão dos programas de Assistência Estudantil.
  • Ampliação da oferta de diversas modalidades de bolsa com a finalidade de propiciar aos alunos condições de estabilidade para o aproveitamento dos estudos, como também para participar dos diversos aspectos da vida universitária;
  • Pautar a aplicação dos programas de bolsas aos estudantes em critérios estritamente técnicos e em procedimentos transparentes sob a incumbência de pessoal especializado;
  • Implantação de suporte pedagógico complementar e auxílio no desenvolvimento de atividades pedagógicas que possam auxiliar na manutenção dos estudantes em seus cursos;
  • Apoiar e estimular as ações e os programas e projetos inclusivos no âmbito da UFF;
  • Disponibilizar teste vocacional para os alunos em fase de conclusão de curso para auxiliar nas futuras escolhas profissionais;
  • Levantamento de competências e habilidades dos estudantes de cada curso de graduação e pós-graduação com o objetivo de mapear suas “trilhas de aprendizagem”, e dessa forma, poder analisar mudanças e permanências do perfil em função dos objetivos esperados por cada curso.

 

DIMENSÃO CULTURA & CONVIVÊNCIA

Diretrizes de Cultura & Convivência

  • Incentivar e sustentar o desenvolvimento das atividades culturais, nos âmbitos da criação, da exibição, da pesquisa e da experimentação, fomentando o intercâmbio com outros focos criativos, recebendo grupos e artistas para troca de experiências e promovendo a constante atualização dos espaços e serviços culturais da UFF com as tendências contemporâneas, em um ambiente de liberdade expressiva, de pluralidade de estilos e de convivência com diversidades;
  • Implementar atividades culturais e artísticas em todos os campi da sede e de fora da sede como ingredientes essenciais da formação universitária buscando prestigiar os talentos e proporcionar a convivência entre alunos, técnicos e docentes da UFF;
  • Ampliar, diversificar e intensificar a vida cultural da UFF, como componente essencial da formação dos alunos como o desenvolvimento estético, apuro da sensibilidade, lazer e convivência, acolhendo e prestigiando todas as formas e gêneros culturais, modalidades e repertórios musicais, tradicionais ou de vanguarda, canônicos ou experimentais;
  • Apoiar a programação do Centro de Artes (Cine-Arte, Teatro, Galeria, Orquestra Sinfônica, Conjunto de Música Antiga, Quarteto, Coral) e seus funcionários, atualizando e aprimorando seus equipamentos e logística;
  • Convidar as áreas acadêmicas pertinentes de Cinema, Produção Cultural, Arte, Letras e Educação Física para participarem, em conjunto com o Centro de Artes, da elaboração e implementação do PDI da Cultura, das Artes e das Práticas Corporais da UFF;
  • Implementar, com a contribuição das áreas acadêmicas e as entidades representativas, uma programação regular de palestras, mesas-redondas e fóruns sobre questões contemporâneas, a serem realizadas nos diversos campi, cultivando o pluralismo de ideias e opiniões e o diálogo e a tolerância;
  • Estimular as iniciativas em momentos solenes de acolhimento dos alunos, do ingresso de novos docentes e técnicos, de recepção de convidados e visitantes, assim como momentos de celebrações, comemorações, homenagens, premiações e formaturas dos alunos;
  • Incentivar o despertar, o aprendizado e o aprimoramento de vocações artísticas na comunidade universitária e, em especial, a cultura da leitura.

  

DIMENSÃO GOVERNANÇA & ADMINISTRAÇÃO

Diretrizes de Governança & Administração

  • Promover um salto de qualidade na infraestrutura e nos serviços de informática da UFF, ampliando e melhorando sua rede, equipamentos e acesso, estimulando a cooperação entre a Superintendência de Tecnologia da Informação, o Núcleo de Documentação, o Instituto de Computação, o Departamento de Ciência da Informação e as áreas administrativas e acadêmicas interessadas;
  • Criar um grupo de trabalho técnico permanente com a finalidade de identificar obstáculos, disfunções e desperdícios no fluxo administrativo da UFF e recomendar correções com a adoção de programas e tecnologias mais avançadas;
  • Implantar e manter a Reitoria Itinerante por meio da realização de encontros frequentes do Reitor, Pró-Reitores e Superintendentes nos diversos campi, abertos à comunidade, para os quais seriam convidados diretores, chefias e coordenações a participar;
  • Adequar o Comitê de Governança da UFF conforme as normas e diretrizes legalmente vigentes;
  • Prestigiar e apoiar as atividades do Conselho Curador e da Ouvidoria como organismos principais de referência e promoção do caráter público e de obediência aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência;
  • Promover esforços para que os Conselhos Superiores elaborem uma pauta de atualização estatutária e organizacional, compor comissão representativa para estudá-la e gerar propostas de reformas normativas a serem debatidas na Comunidade Universitária;
  • Estimular os alunos a participarem dos processos decisórios e eleitorais da UFF e a ocuparem e exercerem as representações que o Estatuto lhes confere como meios de democratizar e qualificar a vida administrativa;
  • Promover e cultivar relações institucionais entre o Reitor e os dirigentes universitários com o MEC e suas demais instâncias de governo da União, do Estado do Rio de Janeiro e dos Municípios que sediam campi da UFF;
  • Fazer do PDI – Pano de Desenvolvimento Institucional (PDI) muito mais que o cumprimento de exigência legal, e sim o conjunto de fundamentos, diretrizes, metas e programas que a administração estará incumbida de cumprir, consagrando a autonomia, ampla representatividade e meios de funcionamento de Comissão Permanente de Elaboração e Acompanhamento do PDI e da elaboração do Orçamento Participativo, envolvendo toda a comunidade universitária na elaboração, realização e avaliação do PDI;
  • Promover, ampliar e aperfeiçoar a Gestão Democrática do Ensino Público, conforme dispõe a Constituição, prestigiar e respeitar todos os Conselhos e Colegiados universitários em suas competências, alimentar a transparência das informações de interesse público, atender às exigências dos órgãos internos e externos de avaliação e fiscalização e prestar contas dos atos da administração sempre que solicitado;
  • Enfatizar o mérito, a competência, a lisura e a participação como critérios determinantes para o preenchimento das funções administrativas sob responsabilidade do Reitor, assim como cobrar de todos os setores o cumprimento de suas responsabilidades, eficiência e atendimento respeitoso e transparente ao público, interno ou externo;
  • Ampliar, diversificar e universalizar os programas de formação, aperfeiçoamento e treinamento dos servidores técnico-administrativos em todos os níveis da carreira e em todas as modalidades e graus de ensino;
  • Implementar um sistema logístico de comunicação e atendimento às demandas cotidianas e emergenciais dos diversos campi da UFF, em especial em Campos, Volta Redonda, Rio das Ostras, Macaé, Santo Antonio de Pádua, Nova Friburgo, Angra dos Reis, Oriximiná e Petrópolis;
  • Orientar Pró-reitores, Superintendentes e demais direções e chefias à visitação regular dos campi universitários e a promover encontros e reuniões de trabalho com suas comunidades e seus responsáveis administrativos.

DIMENSÃO DE INFRAESTRUTURA

 Diretrizes de Infraestrutura

  • Lutar vigorosamente por recursos para a conclusão das obras de construção dos prédios do IACS, Biologia, Rio das Ostras, Faculdade de Medicina, Instituto de Química e outros;
  • Criar um sistema compartilhado e cooperativo entre as Unidades de utilização das salas de aula e laboratório multiusuários;
  • Implantar sistemas (após análise de viabilidade dos prédios) de captação de energias renováveis de modo a reduzir permanentemente os custos com energia elétrica, bem como a ampliação do sistema VOIP para reduzir os custos com telefonia;
  • Garantir à Superintendência de Arquitetura, Engenharia e Patrimônio e à Prefeitura Universitária as condições de planejamento, projeto, execução e fiscalização eficiente, econômica e ágil de todos os campi, bem como os meios de atualização de seus técnicos;
  • Prover os responsáveis diretos pela manutenção predial de recursos humanos e materiais para a agilidade, acessibilidade, qualidade e durabilidade dos serviços. Conferir especial atenção à fiscalização e segurança de elevadores, sistema de eletricidade, pisos e calçamentos, incluindo a prevenção e proteção contra assaltos e outras ações criminosas às pessoas e ao patrimônio da UFF.
  • Promover a urbanização dos campi e estimular as direções das unidades respectivas a conjuntamente contribuírem para transformar esses locais em ambientes propícios ao estudo, convívio e lazer;
  • Programar atividades de cultura e lazer nos campi nos finais de semana, abertas à Comunidade;

DIMENSÃO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

 Diretrizes para o HUAP

Durante um período de 8 anos, entre 2006 e 2014, o Hospital Universitário Antonio Pedro/HUAP recebeu forte investimento em infraestrutura visando a melhoria dos seus ambientes acadêmicos e assistenciais.  A reforma da estrutura física de todo o HUAP foi iniciada em 2007, quando o Hospital se transformou em um verdadeiro canteiro de obras, o que se traduziu numa infraestrutura renovada para atender às demandas da sociedade. Foram executadas reformas e construção de novas salas de aula e laboratórios, além da aquisição de equipamentos hospitalares de última geração. Assim, muitas obras foram iniciadas e finalizadas dentro do período de governança 2007 e 2014; outras obras de infraestrutura do HUAP foram iniciadas e implementadas nesse período, mas só foram inauguradas após 2014.

Como propostas para a melhoria das condições de trabalho e funcionamento do HUAP, propomos as seguintes diretrizes:

  • Fazer um diagnóstico da atual situação do HUAP em relação à EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares);
  • Rediscutir o contrato de adesão à EBSERH, reavaliando os reais benefícios para o HUAP, garantindo o seu perfil acadêmico como agente formador de recursos humanos para a sociedade;
  • Rediscutir a adesão à EBSERH quanto à política de recursos humanos, visto que a expansão em infraestrutura feita ao longo dos anos, implica em ampliação do quadro de pessoal;
  • Avaliar a situação dos servidores técnicos administrativos da UFF em relação à EBSERH, protegendo e garantindo a situação jurídica conquistada pelo RJU na UFF, assegurando aos técnicos administrativos do HUAP todos os direitos e vantagens estabelecidas na Lei 8.112/90, bem como na Lei 11.091/05 sobre Planos de Carreiras dos Cargos Técnicos Administrativos em Educação;
  • Acatar os resultados de consultas para a escolha das direções e chefias do Hospital Universitário Antonio Pedro por parte de sua comunidade em áreas específicas;
  • Garantir que o HUAP continue cumprindo o seu papel social junto à população, ou seja, que continue público, gratuito e 100% SUS.

APRESENTAÇÃO

As propostas da Chapa 2 foram construídas com competência, respeito aos colegas e lealdade à UFF, pelos próprios Técnicos. A Chapa 2 reuniu diversas lideranças dos Técnicos da UFF em Grupo de Trabalho. Foram muitas reuniões e discussões, na certeza de melhores dias, além de experiências e vivências dos problemas que afetam os Técnicos da nossa UFF. Após um mês, o GT Técnicos da UFF completou o conjunto de propostas apresentadas a seguir.

Nós, candidatos da Chapa 2, assumimos esses compromissos.
Roberto Salles (Candidato a Reitor)
Wainer da Silveira (Candidato a Vice-Reitor)

A chapa NOSSA UFF vai desenvolver uma gestão pautada pela excelência acadêmica e eficácia  administrativa para estabelecer uma UFF plural, democrática e eficiente.  Nesse processo, os técnico-administrativos em Educação da UFF terão participação fundamental, com presença garantida na próxima gestão e o reconhecimento do valor e competências desse importante segmento.

As propostas para os técnico-administrativos são apresentadas no eixo Gestão de Pessoas, contemplando  a valorização profissional, a Saúde e Qualidade de Vida, melhores condições de trabalho e a  participação nos processos de gestão. Procura-se, dessa forma, atender a todos os técnico-administrativos da UFF, considerando as especificidades de cada Unidade.

I – GESTÃO DE PESSOAS – PROPOSTAS

1 – VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL / CONDIÇÕES DE TRABALHO

  • Estabelecimento de políticas de incentivo à qualificação dos técnico-administrativos por meio de Educação Formal nos vários níveis de ensino.
  • Criação de curso de Especialização em Gestão Universitária voltado para os técnicos da UFF.
  • Políticas bem definidas de atendimento aos servidores das Unidades fora da Sede, facilitando o acesso a todos os mecanismos, programas, cursos e procedimentos administrativos de forma igualitária aos disponibilizados em Niterói.
  • Estabelecimento de mecanismos que propiciem aos técnico-administrativos participação, elaboração, execução e coordenação de projetos de Extensão, Pesquisa, Ensino e Desenvolvimento Institucional, considerando as competências exigidas para os mesmos.
  • Apoiar a participação dos técnico-administrativos em eventos, cursos de capacitação externos, seminários e congressos por meio de destinação de verbas específicas para esse fim.
  • Criação de um Núcleo de apoio à publicação científica (com profissionais de estatística, redação científica e formatação oficial, apoio financeiro e integração de revistas científicas, treinamentos, cursos, intercâmbios, estudo de criação de revistas por áreas, revisores etc.), voltados, principalmente, para servidores técnico-administrativos.
  • Propor uma consulta à comunidade interna dos setores que são integrados na maioria dos seus quadros por servidores técnico-administrativos, com a finalidade de eleger sua direção. Exemplos de setores para aplicação da proposta: CEART, direções de Enfermagem e Nutrição do HUAP.
  • Garantia da jornada de trabalho de 30h, sem redução de salário, para os técnico-administrativos de todos os setores da UFF, respeitando as jornadas especiais garantidas em Lei.
  • Estimular ações que viabilizem convênios com as prefeituras para que seja ampliado o oferecimento de vagas em creches para filhos de servidores técnico-administrativos.
  • Destinar recursos financeiro e pessoal para o setor de Manutenção a fim de que possa atender as demandas dos diversos setores da UFF.

2 – SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA

  • Estruturar comissão interna que identifique e promova ações necessárias para a melhoria na política de saúde do servidor.
  • Ampliar a estrutura para atendimento médico-ambulatorial e odontológico para atender ao servidor, utilizando a própria estrutura da Universidade, como primeira alternativa a Planos de Saúde.
  • Adotar medidas de acessibilidade e inclusão de pessoas com deficiências nos espaços da UFF.
  • Designar uma Comissão Paritária contra o Assédio Moral constituída por profissionais da área jurídica e das áreas de Psicologia, Serviço Social e Medicina, oriundos do quadro de pessoal da UFF e representantes das categorias docente e técnico-administrativa, eleitos nos seus fóruns, com a finalidade de promover ações de prevenção e campanhas de esclarecimento sobre o assédio moral, bem como aprofundamento de averiguações e apurações de casos e, consequentemente, estabelecimento das punições cabíveis.
  • Identificar, fiscalizar e propor soluções para locais que apresentem questões relacionadas à insalubridade, periculosidade, à acessibilidade, à ergonomia e à segurança, capacitando essas equipes para o trabalho e garantindo o percentual de insalubridade a qual faz jus naquele ambiente de trabalho.

3 – PARTICIPAÇÃO NOS PROCESSOS DE GESTÃO

  • Promover a atualização do Plano de Desenvolvimento dos Integrantes da Carreira Técnico-administrativa em Educação – PDIC – e seus programas de Capacitação e Qualificação, de Gestão de Desempenho e de Dimensionamento e Modelo de Alocação de Vagas por meio da análise das necessidades institucionais, de maior destinação de verbas e da implantação de novas ferramentas de avaliação.
  • Instituição de uma Comissão Estatuinte paritária, formada pelos 3 segmentos para construir os novos Estatuto e Regimento da UFF à luz da realidade atual de uma Universidade Federal Pública.
  • Retomada do Mapeamento de Competências e Habilidades, a fim de direcionar o servidor para as atividades mais voltadas para o seu perfil.
  • Aperfeiçoar o Programa de Acolhimento aos novos servidores, apresentando a estrutura da Universidade, informações sobre as rotinas administrativas, funcionamento.
  • Estabelecimento de critérios por normativa para a movimentação interna de pessoal, ouvindo as chefias imediatas e prestigiando a vontade do servidor e suas vocações, competência e habilidades.
  • Instituir um Programa de Formação de Gestores com o objetivo permanente de melhorar a gestão por meio do desenvolvimento dos servidores docentes e técnico-administrativos em educação, para o exercício da atividade de gestão, em especial, a gestão universitária.
  • Criação de Comissão ligada à PROGEPE para acompanhar e orientar o servidor técnico-administrativo em Estágio Probatório sobre seu período de avaliação, objetivando sua aprovação ao final do mesmo.
  • Fortalecimento do papel da CIS na UFF e na Comissão Nacional  (PCCTAE).
  • Apoiar a ampliação da participação do segmento Técnico-administrativo: nos Conselhos Superiores da UFF (por meio eleitoral), bem como nas Câmaras Técnicas desses Conselhos; nas diversas áreas de decisão da UFF, incluindo, Pró Reitorias e Assessorias; e nos órgãos Colegiados (unidades) e Plenários Departamentais, para que os mesmo possam ter direito a voz e voto e participem ativamente das decisões destes fóruns.
  • Criação do Polo avançado de São Gonçalo (cursos noturnos e diurnos), de preferência que não exijam laboratórios técnicos com ampla participação do segmento técnico-administrativo.
  • Retorno do SINTUFF à sede ao Morro do São João Batista.
  • Apoiar e respeitar o movimento dos servidores, por meio do seu sindicato, inclusive, as greves, fortalecendo assim, as reivindicações do segmento de técnico-administrativo referentes à remuneração salarial, bem como, as condições de trabalho na UFF.

II – HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO (HUAP) – PROPOSTAS

  • Realização de consulta universal à comunidade do Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP) sobre a permanência/manutenção ou não do contrato da UFF com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH).
  • Ampliação do acesso ao Refeitório (bandejão) do HUAP, até atingir toda a comunidade do hospital.
  • Zelar para que atribuições da Enfermagem sejam centradas no seu campo de atuação.
  • Retorno do atendimento da perícia médica, ao HUAP para o atendimento dos profissionais que ali atuam.
  • Promover a chamada sistemática anual dos profissionais para atenção integral à sua própria saúde.
  • Mais celeridade nos processos de acumulação e orientação ao servidor sobre os seus direitos.
  • Propor a implantação do Prontuário eletrônico, a fim de sistematizar as informações sobre os pacientes, bem como agilizar o processo de faturamento do HUAP.
  • Manutenção do campo de estágios no HUAP, permitindo uma formação multiprofissional e interdisciplinar.
  • Abertura dos portões do complexo ambulatorial para facilitar o acesso dos servidores e pacientes aos serviços ambulatoriais.
  • Valorização dos profissionais e dos diversos setores do HUAP.
  • Estudo de viabilidade para aprimorar a circulação dos profissionais e usuários nos vários espaços do hospital.
  • Revisão/atualização da missão do HUAP frente à UFF, assim como, para a  população da Região Metropolitana II e adjacências.
  • Implantar o serviço de odontologia hospitalar e intensiva, dialogando com a graduação/especialização/residência de odontologia/estomatologia para assistência ao paciente internado, com problemas específicos.
  • Discutir com a comunidade do HUAP formas de controle de frequência que não seja o ponto eletrônico.
  • Propor que o serviço de pessoal do HUAP seja integrado à PROGEPE.
  • Consulta à comunidade para a direção de Enfermagem, Nutrição, Serviço Social, Farmácia, dentre outros.
  • Propiciar a reabertura dos serviços que foram paralisados e viabilizar a montagem ou credenciamento de outros serviços necessários aos usuários do HUAP.
  • Propiciar condições de trabalho dignas para os profissionais que atuam no Hospital.
  • Continuidade e manutenção do trabalho do NIR – Núcleo Interno de Regulação.

III – SISTEMA DE BIBLIOTECAS E ARQUIVOS DA UFF – PROPOSTAS

  • Treinamento contínuo para a comunidade acadêmica e equipe de atendimento ao usuário.
  • Rever procedimentos/regulamentos para diminuir a burocracia e facilitar o acesso aos usuários, atuando, de fato, como um Sistema.
  • Adotar medidas de acessibilidade e inclusão de pessoas com deficiências.
  • Rodízio das chefias das bibliotecas (eleitas pelos funcionários de cada unidade).
  • Incentivo e apoio para os cursos de capacitação ministrados pela SDC.
  • Criação de um setor de apoio à elaboração de projetos.
  • Visitas técnicas e apoio às unidades fora da sede.
  • Atualização, conservação e higienização dos acervos da UFF.
  • Implementação de um plano permanente de manutenção das unidades (estrutura física, mobiliários e equipamentos), bem como, apoio financeiro para aquisição de materiais específicos para o funcionamento das bibliotecas.

IV – UNIDADE AVANÇADA JOSÉ VERÍSSIMO – UAJV – ORIXIMINÁ (PA) –  PROPOSTAS

  • Retornar as visitas da Reitoria itinerante, visando, dentre outras demandas, valorizar os técnicos lotados nas unidades fora da sede-Niterói: Angra dos Reis, Campos de Goytacazes, Macaé, Nova Friburgo, Rio das Ostras, Santo Antônio de Pádua, Volta Redonda, Petrópolis e, em especial, a Unidade Avançada José Veríssimo, em Oriximiná (PA).
  • Retorno do pré-vestibular social na unidade de Oriximiná.
  • Retorno das viagens dos alunos e professores à UAJV.
  • Implantar uma biblioteca na Unidade Avançada José Veríssimo, em Oriximiná (PA), pois é a única unidade da UFF que não conta com biblioteca para a comunidade acadêmica e comunidade do entorno.
  • Incentivar e apoiar a participação das Ações de Extensão existentes na UFF, na UAJV.

Grupo de Trabalho Nossa UFF – Técnicos

Adilson Soares – ESS/Gragoatá
Catarina Ribeiro – BEE/SDC
Fátima Costa – NEPHU/PROEX
Iara Rohan – Engenharia
Lucia Vinhas – Escola de Gestão
Márcia Carvalho – Enfermagem/HUAP
Marlene Silva – aposentada STi
Roberto Peçanha – Engenharia
Rosa Conde – Enfermagem/HUAP
Silvia Ferreira – Setor de Comunicação/PROEX
Ubiratan Rohan- Engenharia
Vinicius Souza – Campos de Goytacazes

A Universidade como geradora de conhecimentos baseada na pesquisa, pós-graduação e extensão tem como compromisso desenvolver pesquisa básica e aplicada de forma intensa, sensível às demandas da sociedade, abrangendo as grandes áreas de conhecimentos com vistas à inovação, priorizando o desenvolvimento científico, tecnológico, econômico e social.

Entendemos a pesquisa e pós-graduação como a linha de força capaz de catalisar a necessária e constante atualização do docente, bem como de suscitar a curiosidade do aluno de Iniciação Científica e a motivação do discente de pós-graduação na busca de um saber maior focando um retorno para a sociedade que nos financia.

Por isso, defendemos para a UFF a ampliação do esforço de pesquisa visando qualidade, relevância e inovação. A formação de recursos humanos de alto nível passa pela pesquisa e pós-graduação de ponta, o que necessita no contexto atual a formação de redes colaborativas permitindo sua inserção no âmbito nacional e internacional.

Nesse sentido buscamos, ao apoiar a pesquisa e a pós-graduação, cumprir o papel da universidade na geração de conhecimento em todas as áreas do saber, o incremento da qualidade e da quantidade da nossa produção intelectual, a projeção da UFF como instituição de excelência na capacitação dos alunos de graduação e pós-graduação e a inserção cada vez maior da nossa casa no cenário internacional da pesquisa de qualidade.

 Diretrizes e ações

  • Implantar uma política de busca da excelência em pesquisa e pós-graduação ouvindo todos os setores interessados da UFF.
  • Melhorar a infraestrutura básica considerando que a mesma deve ser assegurada pela instituição e não pela captação individual de recursos nas agências de fomento. Estimular a cultura da convergência de esforços, buscando abordagens inter- e multidisciplinares e o trabalho em rede.
  • Fornecer maior apoio administrativo aos pesquisadores e a pós-graduação através da criação de escritórios a fim de oferecer condições adequadas para gestão dos seus projetos tais como: prestação de contas, suporte para elaboração do relatório CAPES (plataforma Sucupira), ética na pesquisa, controle do patrimônio genético, patentes e outros.
  • Dar apoio logístico e institucional a ações proativas na busca de fontes alternativas de financiamento na captação de recursos junto a entidades de fomento (governo, agências, fundos setoriais, empresas, doadores, dentre outros).
  • Criar um banco de informações na web sobre oportunidades de fomento públicas e privadas, nacionais e internacionais.
  • Ampliar, desburocratizar e dar suporte ao desenvolvimento de pesquisas em parceria com os setores público e privado, nacionais e estrangeiros, estimulando o intercâmbio e aperfeiçoando a política de construção de tais parcerias.
  • Estimular o desenvolvimento de pesquisas de caráter inovador, com vistas ao bem-estar da sociedade por meio do suporte da Agência de Inovação da UFF.
  • Consolidar atividades de empresas júnior e estimular a criação de incubadoras de empresas emergentes,acolhimento de startups, e fortalecer o empreendedorismo através da atuação da UFF junto à rede estadual de parques tecnológicos.
  • Aumentar em âmbito nacional e internacional a visibilidade da pesquisa e da pós-graduação da UFF melhorando sua difusão e divulgação.
  • Estimular e organizar eventos científicos para promover e debater os grandes temas de interesse nacional.
  • Reativar editais de apoio à pesquisa e a pós-graduação através dos programas do PDI.
  • Estimular um programa específico de apoio institucional para acolher pesquisadores visitantes de renome com o intuito de estimular parcerias em temas de fronteira.
  • Promover ações específicas para melhoria dos programas de pós-graduação com conceitos ainda não consolidados.
  • Incentivar a criação de programas de pós-graduação em rede.
  • Apoiar a criação de mestrados profissionais em áreas estratégicas.
  • Desenvolver ações estratégicas para o fortalecimento dos programas de pós-graduação recém-criados através de editais específicos.
  • Criar editais de bolsas para apoiar recém-doutores até sua inserção no mercado de trabalho.
  • Instituir um banco de oportunidades de mercado de trabalho para recém-doutores visando sua inserção no mesmo.
  • Apoiar a elaboração e a manutenção de sites dos programas de pós-graduação em Português,Espanhol, Inglês e
  • Estimular a divulgação das atividades de pesquisa e pós-graduação através da produção de revistas eletrônicas, entrevistas e filmes científicos.
  • Incentivar a integração universidade/ensino médio através do programa “UFF de Portas abertas”.
  • Ampliar o acervo eletrônico das bibliotecas para atender aos programas de pós-graduação.
  • Estimular a interiorização dos cursos de pós-graduação promovendo o desenvolvimento regional.

 Editora UFF (EDUFF)

A Editora da UFF, que tem um papel de destaque entre as editoras universitárias brasileiras, é um patrimônio da Universidade e a Administração tem que assumir a responsabilidade de promover o seu desenvolvimento e o aprimoramento de sua qualidade editorial

  • Manter e aprimorar as políticas editoriais de sucesso, com alta qualidade acadêmica.
  • Buscar uma maior abrangência temática, visando publicações em todas as áreas do conhecimento.
  • Incentivar a publicação de livros didáticos, predominantemente no formato de e-books.
  • Aprimorar o processo de distribuição dos livros publicados.

Fazer parcerias com outras editoras universitárias, editoras comerciais que trabalhem com linhas editoriais afins e com instituições de fomento à pesquisa

APRESENTAÇÃO

Este Programa de Gestão Acadêmica não é somente uma carta de intenções, mas sim um documento cuja natureza explicita ideias e propostas coerentes e alcançáveis nas áreas de ensino, pesquisa e extensão universitária, que buscam a consolidação da UFF no próximo quadriênio 2018-2022.

O conteúdo deste documento traduz avanços e reafirma uma UFF cuja missão é resgatar e amplificar seu compromisso com as diferentes áreas do saber e com a produção do conhecimento.

Este Programa de Gestão Acadêmica é um compromisso de construção coletiva, pois resulta da reunião de propostas elaboradas pelos pesquisadores e coordenadores dos cursos de graduação e pós-graduação da UFF que apoiam a Chapa 2. Trata-se, portanto, de um documento resultante das reflexões de quem vivencia diariamente, e ao longo de muitos anos, o ensino, a pesquisa, a pós-graduação e a extensão universitária no âmbito da nossa Universidade.

Nas páginas seguintes serão apresentados nossos compromissos acadêmicos com você professor da UFF, nossos compromissos acadêmicos com você pesquisador da UFF.

Saudações Universitárias,

Roberto Salles & Wainer
Candidatos a Reitor e Vice-Reitor da UFF

DIMENSÃO 1 – PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

A Universidade como geradora de conhecimentos baseada na pesquisa, pós-graduação e extensão tem como compromisso desenvolver pesquisa básica e aplicada de forma intensa, sensível às demandas da sociedade, abrangendo as grandes áreas de conhecimentos com vistas à inovação, priorizando o desenvolvimento científico, tecnológico, econômico e social.
Entendemos a pesquisa e pós-graduação como a linha de força capaz de catalisar a necessária e constante atualização do docente, bem como de suscitar a curiosidade do aluno de Iniciação Científica e a motivação do discente de pós-graduação na busca de um saber maior focando um retorno para a sociedade que nos financia.
Por isso, defendemos para a UFF a ampliação do esforço de pesquisa visando qualidade, relevância e inovação. A formação de recursos humanos de alto nível passa pela pesquisa e pós-graduação de ponta, o que necessita no contexto atual a formação de redes colaborativas permitindo sua inserção no âmbito nacional e internacional.
Nesse sentido buscamos, ao apoiar a pesquisa e a pós-graduação, cumprir o papel da universidade na geração de conhecimento em todas as áreas do saber, o incremento da qualidade e da quantidade da nossa produção intelectual, a projeção da UFF como instituição de excelência na capacitação dos alunos de graduação e pós-graduação e a inserção cada vez maior da nossa casa no cenário internacional da pesquisa de qualidade.

DIRETRIZES E AÇÕES

• Implantar uma política de busca da excelência em pesquisa e pós-graduação ouvindo todos os setores interessados da UFF.
• Melhorar a infraestrutura básica considerando que a mesma deve ser assegurada pela instituição e não pela captação individual de recursos nas agências de fomento. Estimular a cultura da convergência de esforços, buscando abordagens inter- e multidisciplinares e o trabalho em rede.
• Fornecer maior apoio administrativo aos pesquisadores e a pós-graduação através da criação de escritórios a fim de oferecer condições adequadas para gestão dos seus projetos tais como: prestação de contas, suporte para elaboração do relatório CAPES (plataforma Sucupira), ética na pesquisa, controle do patrimônio genético, patentes e outros.
• Dar apoio logístico e institucional a ações proativas na busca de fontes alternativas de financiamento na captação de recursos junto a entidades de fomento (governo, agências, fundos setoriais, empresas, doadores, dentre outros).
• Criar um banco de informações na web sobre oportunidades de fomento públicas e privadas, nacionais e internacionais.
• Ampliar, desburocratizar e dar suporte ao desenvolvimento de pesquisas em parceria com os setores público e privado, nacionais e estrangeiros, estimulando o intercâmbio e aperfeiçoando a política de construção de tais parcerias.
• Estimular o desenvolvimento de pesquisas de caráter inovador, com vistas ao bem-estar da sociedade por meio do suporte da Agência de Inovação da UFF.
• Consolidar atividades de empresas júnior e estimular a criação de incubadoras de empresas emergentes,acolhimento de startups, e fortalecer o empreendedorismo através da atuação da UFF junto à rede estadual de parques tecnológicos.
• Aumentar em âmbito nacional e internacional a visibilidade da pesquisa e da pós-graduação da UFF melhorando sua difusão e divulgação.
• Estimular e organizar eventos científicos para promover e debater os grandes temas de interesse nacional.
• Reativar editais de apoio à pesquisa e a pós-graduação através dos programas do PDI.
• Estimular um programa específico de apoio institucional para acolher pesquisadores visitantes de renome com o intuito de estimular parcerias em temas de fronteira.
• Promover ações específicas para melhoria dos programas de pós-graduação com conceitos ainda não consolidados.
• Incentivar a criação de programas de pós-graduação em rede.
• Apoiar a criação de mestrados profissionais em áreas estratégicas.
• Desenvolver ações estratégicas para o fortalecimento dos programas de pós-graduação recém-criados através de editais específicos.
• Criar editais de bolsas para apoiar recém-doutores até sua inserção no mercado de trabalho.
• Instituir um banco de oportunidades de mercado de trabalho para recém-doutores visando sua inserção no mesmo.
• Apoiar a elaboração e a manutenção de sites dos programas de pós-graduação em Português,Espanhol, Inglês e Libras.
• Estimular a divulgação das atividades de pesquisa e pós-graduação através da produção de revistas eletrônicas, entrevistas e filmes científicos.
• Incentivar a integração universidade/ensino médio através do programa “UFF de Portas abertas”.
• Ampliar o acervo eletrônico das bibliotecas para atender aos programas de pós-graduação.
• Estimular a interiorização dos cursos de pós-graduação promovendo o desenvolvimento regional.

EDITORA UFF (EDUFF)

A Editora da UFF, que tem um papel de destaque entre as editoras universitárias brasileiras, é um patrimônio da Universidade e a Administração tem que assumir a responsabilidade de promover o seu desenvolvimento e o aprimoramento de sua qualidade editorial
• Manter e aprimorar as políticas editoriais de sucesso, com alta qualidade acadêmica.
• Buscar uma maior abrangência temática, visando publicações em todas as áreas do conhecimento.
• Incentivar a publicação de livros didáticos, predominantemente no formato de e-books.
• Aprimorar o processo de distribuição dos livros publicados.
• Fazer parcerias com outras editoras universitárias, editoras comerciais que trabalhem com linhas editoriais afins e com instituições de fomento à pesquisa.

DIMENSÃO 2 – ENSINO DE GRADUAÇÃO

A fim de que seja possível seguir as orientações da Lei nº 9394/96 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação/ LDB, atualizada em 03/2017), a Universidade deve estar apoiada sobre o tripé ensino, pesquisa e extensão, que juntos constituem o eixo fundamental da Universidade Brasileira. Portanto, é necessário criar incentivos à participação de docentes em programas de ensino que envolvam os demais pilares da educação, pesquisa e extensão
DIRETRIZES E AÇÕES

• Valorizar o ensino de graduação e a gratuidade da educação superior de qualidade ao discente, assim como a valorização do trabalho do corpo docente e técnico-administrativo, a partir da criação de espaços acadêmicos, metodologias inovadoras e inclusivas com cursos que apresentem flexibilidade e interdisciplinaridade em suas matrizes curriculares.
• Incentivar as parcerias entre cursos de graduação e programas de pós-graduação da UFF, a fim de fortalecer e ampliar as notas de avaliação dos cursos de graduação e pós-graduação.
• Apoiar a criação de programas e projetos de ensino, pesquisa e extensão que envolvam ações que estimulem a política de desenvolvimento sustentável e a inclusão social.
• Incentivar o aluno de graduação a participar de campanhas humanitárias e sociais.
• Estimular a produção de livros didáticos e outros materiais didáticos pelos docentes com o envolvimento do corpo discente.
• Incentivar a produção de materiais oriundos dos programas de Extensão que possam ser utilizados como fonte de conhecimentos e experiências no Ensino de Graduação.
• Apoiar a participação da comunidade acadêmica na autoavaliação institucional a fim de elevar a qualidade do ensino superior.
• Reduzir os altos índices de evasão (não permanência nos cursos) e retenção (reprovação em disciplinas) dos cursos de graduação a partir de levantamento e entendimento das causas e efeitos.
• Criar grupo de estudo e apoio acadêmico para diminuir os índices de retenção e evasão. Grupos que trabalhem em parceria com as coordenações de cursos a fim de colaborar com orientações acadêmicas, curriculares e apoio psicopedagógico (por área de conhecimento – exatas, humanas, saúde, etc). Grupos de orientação e acompanhamento acadêmico para que seja possível o acompanhamento mais próximo do discente.
• Incentivar a atualização dos currículos dos cursos de graduação na perspectiva de promover a qualidade do ensino superior. Para isso, será necessária a inclusão de temas transversais no decorrer do processo de formação do aluno. Inclusão de temas que objetivam a educação a partir de valores que busquem responder aos problemas sociais e conectar a Universidade com a Sociedade.
• Apoiar a prática de estudos de temas que envolvam questões atuais; temas com relevância social e proximidade com a realidade da formação e interesse do discente (adoção de estudos de caso); além da utilização de assuntos relacionados aos direitos humanos, ética, cidadania, políticas públicas, desigualdades sociais, sustentabilidade, inovações e empreendedorismo.
• Implantar metodologias inovadoras de aprendizagem na UFF pelo apoio aos Núcleo Docentes Estruturante (NDE) dos cursos de graduação incentivando-os a aplicar metodologias ativas e participativas, através da utilização de espaços acadêmicos de ensino além da sala de aula, incentivo e modernização de práticas laboratoriais (atividades práticas em paralelo às aulas teóricas) e uso da tecnologia da informação e inovações (vídeoaulas, atividades extras curriculares), além da utilização de técnicas de ensino inovadoras, tais como, sala de aula invertida, design thinking, autoaprendizagem, jogos, entre outras.
• Incentivar os diferentes cursos de graduação quanto à utilização das ferramentas de Ensino a Distância (EAD), propiciando a utilização efetiva das estruturas existentes e suporte às ações inovadoras de ensino e ao compartilhamento do saber na forma virtual
• Estimular o empreendedorismo no ensino de graduação por meio da criação de uma Rede de Educação Empreendedora com interessados na temática do empreendedorismo e da inovação, que se articularão para a oferta de disciplinas que abordem o tema nos seus departamentos de ensino. A abordagem em rede garantirá que os conteúdos serão aderentes às realidades dos diversos campos do saber.
• Ampliar o nº de vagas do Curso Superior em Empreendedorismo & Inovação – MINOR-UFF, que forma estudantes para a criação de empreendimentos empresariais e sociais.
• Contribuir para a gestão das escolas do estado do Rio de Janeiro, por meio da formação de diretores de escolas e outros profissionais dos setores público e privado.
• Incentivar a mobilidade acadêmica pela ampliação dos convênios com instituições internacionais de ensino superior e dar suporte, facilitando os trâmites burocráticos para a obtenção de dupla diplomação nos cursos que forem possíveis. Além disso, incentivar a participação ativa da mobilidade nacional pelos discentes.
• Estabelecer uma política permanente de estágios internos na UFF por meio do incentivo aos estágios nos laboratórios, obras na própria universidade, restaurantes universitários, bibliotecas e demais locais e/ou atividades da universidade).
• Ampliar os convênios com empresas para aumentar as oportunidades de estágios externos por meio de parcerias entre os cursos de graduação e empresas públicas e privadas para que seja possível manter a troca de conhecimentos entre academia e empresas, além de buscar suporte financeiro para possibilitar a ampliação do número de bolsas acadêmicas na graduação.
• Ampliar o auxílio aos alunos com necessidades especiais em diferentes demandas (intérpretes, acessibilidade, atendimento).
• Apoiar a contratação e/ou capacitação de servidores intérpretes (Libra, Braille e atendimento às necessidades especiais)
• Manter o vinculo com os alunos egressos (ex-alunos da UFF) e incentivar a sua participação na formação dos discentes, compartilhando experiências profissionais, a partir da criação de comunidades virtuais de ex-alunos e palestras presenciais.

GESTÃO DO ENSINO DE GRADUAÇÃO

• Atualizar o Plano Político Pedagógico Institucional da UFF.
• Atualizar o Regulamento dos Cursos de Graduação da UFF.
• Estimular a atualização dos Projetos Pedagógicos dos Cursos (PPC) visando a modernização dos mesmos.
• Incentivar a atualização dos Regimentos dos Colegiados e NDE dos cursos.
• Propor autonomia às Coordenações e Chefias de Departamentos, a fim de que seja possível agilizar trâmites e diminuir burocracias.
• Criar grupos de trabalho e de fóruns de Coordenações e Departamentos por área de conhecimento para solucionar as diferentes demandas dos cursos de Graduação.
• Capacitar e qualificar os docentes e os técnicos em funções de Chefias e Coordenações, visto que muitas informações administrativas são perdidas ou não informadas, por isso, há necessidade de criação de manuais de procedimentos e boas práticas nas rotinas da Graduação.
• Instituir a Pró-Reitoria itinerante para atender as demandas de serviços nos campi Fora da Sede.
• Melhorar o acesso a internet / rede wireless nos campi de Niterói e nos campi Fora da Sede. inclusão digital efetiva para a comunidade acadêmica com cobertura wireless nos campi de Niterói e interiores e incentivo a criação de sites institucionais para todos os departamentos, coordenações e disciplinas.
• Modernizar o sistema de informação administrativo (idUFF).
• Criar a coordenação online, visto que muitas coordenações já utilizam as ferramentas não-institucionais para comunicação com os alunos, como o Facebook ou Whatsapp, redes que possuem grande flexibilidade de comunicação.

BIBLIOTECAS DA UFF

• Ampliar e modernizar as bibliotecas da UFF por meio da atualização, conservação e higienização dos acervos.
• Apoiar a política de treinamento contínuo para a comunidade acadêmica e equipe de atendimento aos usuários.
• Rever os procedimentos/regulamentos para diminuir a burocracia e facilitar o acesso aos usuários, atuando, de fato, como um Sistema de Bibliotecas.
• Adotar medidas de acessibilidade e inclusão de pessoas com deficiências.
• Implantar o rodízio das Chefias das Bibliotecas (eleitas pelos servidores de cada unidade).
• Incentivar e apoiar os cursos de capacitação ministrados pelo SDC
• Criar um setor de apoio à elaboração de projetos.
• Instituir as visitas técnicas e apoiar as Unidades Fora da Sede.
• Implementar um plano permanente de manutenção das unidades (estrutura física, mobiliários e equipamentos), bem como, apoio financeiro para aquisição de materiais específicos para o funcionamento das bibliotecas.

DIMENSÃO 3 – EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

A fim de organizar de modo bastante lógico as propostas de gestão da extensão universitária, optou-se por dividir as diretrizes e ações em cinco eixos, a saber:
a) fortalecimento da Extensão Universitária na UFF;
b) Infraestrutura e financiamento da Extensão;
c) Extensão e Integração Acadêmica;
d) Extensão integrada com Unidade Fora da sede;
e) Extensão universitária e Sociedade
DIRETRIZES E AÇÕES

A- Fortalecimento da Extensão Universitária na UFF

• Criar os Conselhos de Extensão formados por coordenadores de extensão nas Unidades acadêmicas com a finalidade de estabelecer permanente articulação entre as Unidades e a PROEX.
• Incentivar a elaboração e divulgação de produtos acadêmicos a partir da extensão, como produção de vídeos, além da elaboração e manutenção de sites de projetos e programas.
• Implantar o Programa de Apoio às Atividades de Extensão, para discentes da graduação e pós-graduação, na modalidade presencial (auxílio p/ passagens e hospedagens).
• Criar o Programa de Internacionalização da Extensão Universitária da UFF para gerar oportunidades de intercâmbio entre alunos bolsistas de Extensão da UFF e alunos estrangeiros extensionistas.
• Estabelecer Programas Estruturantes que contemplem as seguintes temáticas: biossegurança (em parceria com a PROPPI), sustentabilidade, educação, saúde, dependência química (Grupos Transdisciplinares de Tratamento do Alcoolismo) e comprometimento com a população em situação de risco social.
• Participar ativamente do Forproex (Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Instituições Públicas de Ensino Superior Brasileiras) Nacional e Forproex Sudeste.

B- Infraestrutura e financiamento da Extensão

• Reformular o Sigproj: atuar junto ao MEC para reformatação do sistema Sigproj com a finalidade de promover melhorias que facilitem o trabalho dos docentes e técnicos quanto ao cadastramento das ações extensionistas.
• Lutar pelo financiamento das atividades extensionistas no MEC, visando a reativação do Proext como principal fonte de incentivo à Extensão Universitária, além de buscar outras fontes de financiamento junto aos órgãos de fomento.
• Atuar junto à STI e à PROPLAN para melhorar o processo de importação de dados do SIGPROJ para o RAD.
• Criar um setor de apoio administrativo às ações extensionistas para fornecer suporte aos professores e técnicos, facilitando a captação de recursos financeiros e a prestação de contas dos projetos, programas, eventos e outras ações extensionistas.
• Avaliar permanentemente as atividades de Extensão Universitária como parâmetro de avaliação da produção da UFF pela implantação dos Indicadores de Extensão recomendados pelo Forproex.

C- Extensão e Integração Acadêmica

• Considerar a Extensão Universitária como um processo acadêmico indispensável na formação do aluno, integralizando os currículos quanto ao eixo ensino-pesquisa-extensão;
• Ampliar o número de Bolsas de Extensão para os discentes participantes das Ações Extensionistas na UFF.
• Retomar as atividades do Encontro de Bolsistas de Extensão como oportunidade de trocas de experiências para o desenvolvimento dos alunos extensionistas.
• Antecipar para o mês de novembro a submissão das propostas de extensão ao Edital de Bolsa de Extensão, para evitar que os coordenadores tenham que trabalhar no período de férias.
• Dar continuidade ao processo de creditação da Extensão Universitária nos currículos da UFF, uma parceria PROEX e PROGRAD junto às coordenações dos Cursos de Graduação.
• Implantar Programa de Bolsa de Extensão (Modelo Auxílio) para docentes e técnicos envolvidos nas ações extensionistas.
• Regulamentar, via CEPEX, a participação de técnicos ocupantes de cargos de nível médio, que sejam detentores de diploma de graduação, como coordenadores de ação de extensão.
• Estimular e ampliar as parcerias da PROEX com os cursos de pós-graduação, para que a integração da pós-graduação com extensão seja mais articulada, conforme o programa de Biossegurança.
• Incentivar a criação de cursos de extensão vinculados a Programas ou articulados a Projetos, visando fortalecer e expandir a atuação da universidade na sociedade e atender demandas das políticas públicas.
• Considerar a Educação a Distância como uma atividade da Extensão Universitária em parceria com a PROGRAD, articulada no projeto acadêmico institucional da UFF.

D- Extensão integrada com Unidade Fora da sede

• Fortalecer o processo de Interiorização da Extensão realizando seminários regionais e parcerias com outras Universidades e Institutos Federais.
• Retomar a realização dos Seminários Regionais de Extensão, visando à articulação com os municípios e as instituições na área de influência das unidades da UFF.
• Ampliar as ações na Unidade de Oriximiná/PA, por meio do desenvolvimento das ações de extensão, ensino e pesquisa, propiciando a atuação dos alunos em região com características geográficas, culturais, sociais e econômicas distintas do Estado do Rio de Janeiro.
• Lutar pelo retorno do apoio da FAB para conduzir mensalmente discentes, docentes e técnicos.

E- Extensão universitária e Sociedade

• Incentivar as parcerias interinstitucionais com órgãos estaduais e consórcios visando a reinserção da UFF no ConLeste e sua participação na elaboração das políticas públicas voltadas para o bem estar da população fluminense.
• Incentivar as parcerias com os municípios fluminenses para que a UFF contribua para a reestruturação do Estado do Rio de Janeiro, desenvolvimento local e regional e geração de soluções para os problemas das políticas públicas de habitação, transporte, energia, segurança pública, emprego, meio ambiente e produção de alimentos.
• Criar o Centro de Referência na UFF sobre a temática da Diversidade e Violência, que articule a troca de saberes entre a Universidade e a sociedade, além de profissionais que desenvolvam trabalhos nas áreas de Direitos Humanos, Gênero, Sexualidades, Raça-etnia, Geração, Interseccionalidades, Saúde e Política Social.
• Apoiar a Escola de Inclusão no sentido de se tornar um Centro de Referência.
• Incentivar e apoiar as atividades nas áreas de meio ambiente e sustentabilidade, incluindo programas e projetos de eficiência energética.
• Apoiar os Cursos Pré-Universitários Sociais visando a democratização do acesso ao ensino superior por alunos do ensino médio da rede pública e jovens em situação de vulnerabilidade econômica.
• Ampliar as ações extensionistas voltadas para a prevenção de riscos e desastres, por meio de simulados e cursos de extensão sobre primeiros socorros, em parceria com órgãos de Defesa Civil municipal, bem como propor a implantação de uma brigada de incêndio na UFF.
• Incentivar e divulgar o Programa de Atuação de Professores Aposentados (PAEx), já aprovado pelo CEPEX, e que visa a coordenação de ações de extensão.